Obesidade Infantil, Morbida e sintomas

O que é Obesidade?

A obesidade é uma doença crônica que afeta um grande número de pessoas no mundo todo. O termo “obesidade” tem origem no latim obesitas, que significa gordo ou corpulento. Tem tratamento, bem como prevenção. Sua principal característica é o acúmulo de gordura corporal (tecido adiposo), o qual pode ocasionar graves problemas de saúde, podendo até levar o paciente à morte.

Esse acúmulo de gordura geralmente é causado pelo consumo em excesso de calorias na alimentação, maior do que o valor de uma dieta comum para a manutenção do organismo ou para a realização das atividades do dia a dia (caminhar, limpar a casa,etc.). Um indivíduo torna-se obeso quando faz mais ingestão de alimentos do que o gasto da energia deles.

No Brasil, existem cerca de 18 milhões de pessoas consideradas obesas.Somando com o total de indivíduos acima do peso, o número chega a 70 milhões, mais que o dobro de 3 anos atrás. Uma pessoa é considerada obesa se o seu IMC for superior a 29,9.

Na maioria dos casos, diagnostica-se a obesidade pelo cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC), definido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e que é feito da seguinte forma:

  • Divide o peso (em Kg) do paciente pela sua altura (em metros) elevada ao quadrado.

IMC = peso (kg) ÷ (altura)²

A obesidade é definida de acordo com o IMC e, também, avaliando a distribuição da gordura do paciente pela cintura, quadris e fatores de risco cardiovascular. Segundo o padrão utilizado pela Organização Mundial da Saúde, os resultados do cálculo do IMC indicam:

  • 18,5 e 24,9: peso normal.
  • 25,0 e 29,9: sobrepeso.
  • Acima deste valor: obesidade.

O IMC, em alguns países asiáticos, foi redefinido quanto aos seus valores de obesidade, uma vez que as populações asiáticas desenvolvem consequências de saúde negativas a um IMC menor do que os caucasianos. No Japão, por exemplo, definiu-se a obesidade como qualquer IMC superior a 25 kg/m2, e na China o IMC para obesidade é superior a 28 kg/m2.

A obesidade em pets

A obesidade em animais domésticos é relativamente comum em diversos países. Exemplo disso é os Estados Unidos, em que as taxas de sobrepeso e de obesidade nos cães variam entre 23% a 41%, sendo 5,1% obesos; já nos gatos, a taxa de obesidade era ligeiramente superior a 6,4%.

O risco de obesidade em cães está diretamente relacionado com seus donos serem ou não obesos, embora não se verifique esta relação no caso dos gatos.

A obesidade em crianças e adolescentes

As considerações de peso para esse grupo de pessoas é diferente. Para as crianças, o peso que é considerado como saudável varia em função da idade e do sexo.

A obesidade nesses grupos não é definida em função de um número absoluto, mas sim por um percentil (dados aproximadamente iguais ao dos adultos). Com isso, uma criança com idade superior a 2 anos será considerada obesa quando o seu IMC for igual ou superior ao percentil 95 para o seu sexo e idade.

Também considera-se que uma criança tem excesso de peso (pré-obesidade) quando o seu IMC está com o percentil entre 85 e 95. Os dados de referência nos quais estes percentis se baseiam correspondem ao período entre 1963 e 1994, pois não foram afetados pelo aumento recente da média de peso.

Um problema de saúde pública

Considera-se a obesidade um problema de saúde pública no mundo, por causa de sua prevalência, assim como os gastos e efeitos na saúde das pessoas. Mas a OMS antevê que a obesidade sobreponha-se à outras preocupações de saúde pública, como exemplo a subnutrição e doenças infecciosas.

Soluções foram apontadas, entre elas estão:

  • Diminuição do consumo de fast foods.
  • Restrição da publicidade destes produtos para as crianças.
  • Diminuição da venda e do consumo de açúcares nas escolas.
  • Promover e implementar o consumo de refeições saudáveis nas escolas.

Ou seja, as medidas que são tomadas quanto à saúde pública englobam entender e corrigir esses fatores ambientais que respondem pelas causas da obesidade na população mundial.

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é Obesidade?
  2. As causas da Obesidade
  3. Quais os tipos de Obesidade?
  4. Sintomas
  5. Qual profissional devo procurar? E qual o diagnóstico?
  6. Tratamento
  7. Grupos e fatores de risco
  8. Mortalidade da obesidade
  9. Complicações e Prognóstico
  10. Como prevenir?

As causas da Obesidade

São muitas as causas da obesidade. Assim, para melhor compreendê-las, podemos dividir em classificações relacionadas às causas, vejamos:

Obesidade por distúrbio nutricional

  • Dietas ricas em alimentos gordurosos.
  • Dietas em lancherias, fast foods, etc.

Obesidade por inatividade física

  • Pessoas que não praticam quaisquer atividades físicas.
  • Sedentarismo.
  • Idade avançada.
  • Aumento da dependência de mobilidade: entende-se que a dependência de transportes para movimentar-se e máquinas para facilitar o trabalho manual contribuam para a redução das atividades físicas, auxiliando, consequentemente, a desenvolver a obesidade.
  • Dieta hiperenergética associada à falta de atividades físicas.

Obesidade secundária a alterações endócrinas

  • Patrimônio genético do paciente.
  • Maus hábitos alimentares.
  • Disfunções endócrinas.
  • Transtornos psiquiátricos.
  • Razões médicas em geral.
  • Hipotireoidismo.
  • Síndrome de Cushing ou deficiência hormona do crescimento.
  • Transtornos alimentares.
  • Transtorno da compulsão alimentar periódica.

Obesidades secundárias

  • Determinantes sociais: estresse, discriminação, classe econômica, tabagismo, número de filhos e a urbanização.
  • Medicamentos: há medicamentos associados ao ganho de peso que provoca a obesidade, entre eles estão:
  1. Insulina.
  2. Sulfonilureias.
  3. Tiazolidinedionas.
  4. Antipsicóticos atípicos.
  5. Antidepressivos.
  6. Glicocorticoides.
  7. Alguns anticonvulsivos (fenitoína e valproato).
  8. Pizotifeno.
  9. Algumas formas de contraceptivos hormonais.

Obesidades por hereditariedade (predisposição genética)

  • Autossômica recessiva.
  • Cromossômicas (Prader-Willi).
  • Síndrome de Lawrence-Moon-Biedi.

Outra de suas causas também é a genética, devido a fatores ambientais. O risco de obesidade é maior nas pessoas com predisposição genética para a obesidade, e tem origem nos polimorfismos de vários genes que controlam o apetite e o metabolismo.

Há mais de 40 sítios do genoma humano que estão associados ao desenvolvimento de obesidade quando existe comida em quantidade suficiente para o corpo. As pessoas que possuem duas cópias do gene FTO pesam, em média, 3 kg a 4 kg a mais e apresentam um risco 1,67 vezes superior em desenvolver a obesidade, comparando com o restante da população.

A porcentagem de obesidade que pode ser atribuída aos fatores genéticos tem variação entre 6% e 85%, dependendo da população examinada. Já 7% das pessoas com obesidade grave precoce (obesidade antes dos 10 anos de idade e com IMC três vezes superior ao normal), possuem mutação pontual no DNA.

A obesidade é também uma das principais características de diversas síndromes genéticas, como a síndrome de Prader-Willi ou a síndrome de Bardet-Biedl.

Quais os tipos de Obesidade?

Há 3 definições quando uma pessoa está acima do peso:

1. Sobrepeso

Quando há mais gordura no corpo do que o ideal para uma vida saudável.

2. Obesidade

Ocorre quando o acúmulo de gordura é muito acima do normal, podendo gerar até problemas graves de saúde.

3. Obesidade mórbida

Quando o valor do IMC ultrapassa 40. Para esses casos, o tratamento inicial, além das mudanças de estilo de vida, incluirá medicamentos e até cirurgia bariátrica recomendada na maioria dos casos.

Classificação da obesidade de acordo com o segmento corporal

  • Obesidade difusa ou generalizada: a gordura compreende o corpo todo do indivíduo.
  • Obesidade andróide ou troncular (centrípeta): nesta classificação, o paciente demonstra a forma corporal como uma maçã; associa-se a uma maior quantidade de gordura visceral, com grande relação a doenças metabólicas e cardiovasculares, como a “Síndrome de Plurimetabólica”.
  • Obesidade ginecóide: a gordura é predominante no quadril, o paciente terá a forma corporal como de uma pêra. Esta classificação corre maior risco do paciente desenvolver artrose e varizes.

Sintomas

O paciente da obesidade não tem sinais e sintomas diretos, apenas quando a obesidade é extrema. Entre as condições mais apresentadas por quem é obeso estão:

  • Limitações estéticas: acentuadas pelo padrão atual de beleza, exigindo um peso corporal até menor do que o aceitável como normal.
  • Limitações de movimentos, podendo haver contaminação com fungos e outras infecções de pele nas dobras de gordura.
  • Sobrecarga na coluna e membros inferiores:desenvolvendo a longo prazo degenerações (artroses) de articulações da coluna, quadril, joelhos e tornozelos, além de doença varicosa superficial e profunda (varizes) com úlceras de repetição e erisipela.

Os demais sintomas e doenças decorrentes da obesidade já entram no campo “complicações”.

Categories : Uncategorized

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *